CIRURGIA GERAL E DO APARELHO DIGESTIVO

FALE COMIGO
51 3336 0890 AV. IPIRANGA, 6.690 / 302

Hérnias Abdominais

A hérnia é um orifício causado pela ruptura dos tecidos que compõem a parede abdominal, podendo causar a passagem dos órgãos internos do abdômen (intestino, gordura) para dentro deste orifício. Existem vários tipos de hérnias, as mais comuns são na região da virilha (inguinal) e na região do umbigo. Existem hérnias que ocorrem no local em que já foi realizada outro tipo de cirurgia e são chamadas de hérnias incisionais.

Sintomas

A dor e o desconforto são os sintomas mais comuns e podem estar associados a um abaulamento ou “caroço”, principalmente quando a pessoa faz algum esforço físico. A hérnia pode trazer riscos na medida em que o intestino pode ficar preso dentro do orifício, podendo causar uma isquemia deste órgão.

Diagnóstico

O diagnóstico normalmente é feito durante a consulta com o cirurgião. O exame realizado pelo médico no consultório consegue identificar a maior parte das hérnias. Algumas hérnias são muito pequenas e se tornam difíceis de serem avaliadas; havendo dúvida pode-se utilizar a ultrassonografia da parede abdominal que possui uma acurácia de quase 100% na identificação das hérnias.

Tratamento

A cirurgia é o tratamento mais indicado para os pacientes com hérnia, pelo risco de aumentar o tamanho da hérnia ou do intestino entrar dentro do orifício e ficar preso. Alguns pacientes idosos ou que possuem um risco elevado para a cirurgia, ou que não tenham nenhum sintoma podem ser acompanhado sem cirurgia.

Em quase todas as correções cirúrgicas se utiliza uma tela feita de polipropileno, que é um material não absorvido pelo corpo e que confere uma boa resistência no local da hérnia; existem vários tipos de tela e cabe ao cirurgião a indicação do uso de tela bem como o tipo de tela a ser utilizada em cada caso.

A cirurgia pode ser realizada através de um pequeno corte no local da hérnia ou por método minimamente invasivo (videolaparoscopia).

Pós-Operatório

Após a cirurgia de hérnia deve-se guardar um certo repouso por no mínimo 15 dias, dependendo da técnica utilizada. Caminhadas leves são recomendadas logo após o procedimento, mas sem exageros.

Rafael Ramos

Minha História

Nasci em Porto Alegre em 16 de maio de 1979. Sou filho de professores e fui criado dentro dos preceitos maristas de simplicidade, solidariedade e amor à família. Ingressei na Escola Marista com 5 anos, onde permaneci até o fim do segundo grau. Desde muito cedo já sabia que queria ser médico, embora tivesse pouco conhecimento sobre a profissão e a carreira médica.

Aos 15 anos fui submetido a um procedimento cirúrgico e passei por situações muito difíceis; a partir daí estava decidido que seria médico cirurgião, como forma de retribuir a graça de estar vivo e acalentar o sofrimento alheio.

Ingressei na Faculdade de Medicina da PUCRS em 1999, e já nas primeiras lições de anatomia confirmaram que deveria seguir a carreira cirúrgica.

SAIBA MAIS
Dr. Rafael Jacques Ramos
CREMERS 28819