CIRURGIA DA OBESIDADE

FALE COMIGO
51 3336 0890 AV. IPIRANGA, 6.690 / 302

Diagnóstico da Obesidade

IMC

O Índice de massa corporal (IMC) é um dos indicadores mais utilizados para classificar a obesidade em adultos. O IMC é um cálculo simples baseado no peso e altura da pessoa (peso/altura²). Considera-se obesidade valores acima de 30 kg/m². Em crianças e adolescentes o peso é avaliado em função também da idade e do sexo e é expressa através de gráficos de percentil.
Classificação do IMC

Classificação do IMC

IMC Classificações
Menor que 18,5 Abaixo do peso normal
18,5 - 24,9 Peso Normal
25,0 - 29,9 Excesso de Peso
30,0 - 34,9 Obesidade Classe I
35,0 - 39,9 Obesidade Classe II
Maior ou igual a 40,0 Obesidade Classe III
Classificação segundo a OMS a partir do IMC

O IMC quando avaliado de maneira isolada apresenta limitações, pois não há uma relação direta do IMC com a composição corporal e a quantidade de gordura, ou seja, indivíduos com o mesmo IMC podem ter diferentes níveis de massa de gordura. Existem diversas formas de analisar a quantidade de massa gordurosa e sua distribuição, entre elas o método mais utilizado é a Bioimpedância.

Bioimpedância

É um método prático, simples e rápido para avaliar a composição corporal. Trata-se de um exame não invasivo e indolor realizado no consultório. A composição corporal é calculada levando-se em conta a resistência da corrente elétrica, o sexo, a idade e a altura da pessoa.

Através do exame conseguimos avaliar:

  • O peso corporal e a estimativa de peso ideal;
  • Percentual de gordura e sua distribuição;
  • O percentual de massa magra e quantidade de proteínas e minerais;
  • A hidratação/retenção hídrica;
  • O estado nutricional;
  • A taxa de metabolismo basal.
CALCULE SEU IMC
Rafael Ramos

Minha História

Nasci em Porto Alegre em 16 de maio de 1979. Sou filho de professores e fui criado dentro dos preceitos maristas de simplicidade, solidariedade e amor à família. Ingressei na Escola Marista com 5 anos, onde permaneci até o fim do segundo grau. Desde muito cedo já sabia que queria ser médico, embora tivesse pouco conhecimento sobre a profissão e a carreira médica.

Aos 15 anos fui submetido a um procedimento cirúrgico e passei por situações muito difíceis; a partir daí estava decidido que seria médico cirurgião, como forma de retribuir a graça de estar vivo e acalentar o sofrimento alheio.

Ingressei na Faculdade de Medicina da PUCRS em 1999, e já nas primeiras lições de anatomia confirmaram que deveria seguir a carreira cirúrgica.

SAIBA MAIS
Dr. Rafael Jacques Ramos
CREMERS 28819