CIRURGIA DA OBESIDADE

FALE COMIGO
51 3336 0890 AV. IPIRANGA, 6.690 / 302

Pós-Operatório

Durante a internação hospitalar, logo após o procedimento cirúrgico o paciente já começa a ingerir água em volumes bem pequenos e é orientado a sair da cama e caminhar precocemente. Nos dias seguintes vão sendo introduzidos líquidos (suco, sopa coada, leite) e permanece assim até 10 dias; após esse período inicia-se com a dieta pastosa até 30 dias, quando a pessoa começa a comer os alimentos na consistência normal, de forma lenta e bem mastigada.

O acompanhamento pós-operatório deve ser seguido com a equipe multidisciplinar por toda vida. A monitorização das vitaminas e nutrientes são feitas através de exames de sangue, que são realizados periodicamente. Também, a bioimpedância é realizada em vários momentos no pós-operatório para o acompanhamento da perda de massa de gordura e o ganho ou preservação de massa muscular.

Após 30 dias, a maioria das pessoas está apta para a realização de atividade física e é recomendada após avaliação com especialista (fisioterapeuta/educador físico), que irá considerar as particularidades e limitações de cada indivíduo. Também se inicia nessa fase a suplementação vitamínica, que deve ser mantida para o resto da vida.

A perda de peso é gradual e depende de inúmeros fatores entre eles a disciplina, o comprometimento e a persistência. Não existe uma regra ou uma meta de emagrecimento; o objetivo primário da cirurgia é a melhora da qualidade de vida, das doenças associadas à obesidade e do bem-estar.

CALCULE SEU IMC
Rafael Ramos

Minha História

Nasci em Porto Alegre em 16 de maio de 1979. Sou filho de professores e fui criado dentro dos preceitos maristas de simplicidade, solidariedade e amor à família. Ingressei na Escola Marista com 5 anos, onde permaneci até o fim do segundo grau. Desde muito cedo já sabia que queria ser médico, embora tivesse pouco conhecimento sobre a profissão e a carreira médica.

Aos 15 anos fui submetido a um procedimento cirúrgico e passei por situações muito difíceis; a partir daí estava decidido que seria médico cirurgião, como forma de retribuir a graça de estar vivo e acalentar o sofrimento alheio.

Ingressei na Faculdade de Medicina da PUCRS em 1999, e já nas primeiras lições de anatomia confirmaram que deveria seguir a carreira cirúrgica.

SAIBA MAIS
Dr. Rafael Jacques Ramos
CREMERS 28819